.
.
.
.
.

[ VISITANTES ]

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Crítica do Filme: Resident Evil 3: Extinção




CRÍTICA DE: RAFILD'S BARBIERI(AUTOR CONVIDADO)
DIREÇÃO: RUSSELL MULCAHY
GÊNERO: AÇÃO/FICÇÃO/TERROR
LANÇAMENTO: 2007
PAÍS DE ORIGEM: EUA

"A EXTINÇÃO DA RAÇA HUMANA COMEÇOU"


Uma das franquias mais audaciosas e de sucesso nos EUA,não podia ser outra que não à de Resident Evil,gloriosa adaptação dos games para o cinema.Bom estou aqui pra dizer que sou um grande fã da saga e de Alice,interpretada por Milla Jovovich.Bom pra começar vamos viajar no tempo e começar pelo terceiro capítulo,é onde nossa aventura começa,afinal a crítica de hoje é referente ao filme Resident Evil:A Extinção.O que na minha opinião é o melhor!
Apesar do filme não ter a direção do aclamado Paul W.S Anderson de(Resident Evil:O Hospede Maldito),não deixa no entanto de apresentar uma ótima e criativa sequência de onde o segundo filme termina.Bem que dizem que dá trilogia original o último é sempre o melhor!
A história segue indiscutivelmente interessante,assim como foi no original e no segundo,o terceiro mantém toda a ação e a adrenalina,com boas cenas de lutas,melhores ainda com ótimos efeitos,coisa que só vejo em Resident Evil.Principalmente cenas em câmera lenta.
Milla Jovovich,também não perdeu o rebolado,continua dando surra nesses mortos vivos,"eu mesmo ainda não sei como ela consegue bater em tantos,mulherzinha super poderosa heim!"
Aliás o elenco esteve bem competente,assim como a boa direção de Russell Mulcahy,que fez por merecer o cargo.E como sempre a produção perfeita de Paul W.S Anderson.
Adorei a ideia de "extinção" de toda a raça humana,afinal uma trilogia precisa elevar os níveis de uma franquia ao extremo,isso Resident Evil,faz com gosto.Este é o começo da anarquia e destruição da terra,começa neste e se estende em Resident Evil:Recomeço e Resident Evil:Retribuição.A partir daqui vemos a verdadeira batalha do bem contra o mal,visto pouco nos dois primeiros filmes da franquia.Alice também está mais forte neste e bem mais ousada.
Em relação ao cenário devastado,nota dez,afinal é a extinção,precisa de algo diferente,e um deserto e cidades fantasmas devastadas,é um ambiente perfeito.Assim como ver a estatua da liberdade em escombros,realmente uma cena fantástico,com o melhor que o efeito especial pode oferecer.Aliás em questão de efeito especial este também supera seus antecessores.
Complementando,Resident Evil 3:A Extinção segue a cartilha de uma boa continuação,fã que e fã sabe a hora de elogiar e de malhar,e acho que a maioria dos amantes da saga não acharam o filme ruim porque existe muitas poucas coisas tão sensacionais como a franquia de ação e terror Resident Evil.E como bom crítico recomento que assista todos os cinco filmes.
SINOPSE: O T-Vírus experimental,criado pela Umbrella Corporation, foi liberado no mundo, transformando a população em zumbis que se alimentam de carne humana.Com as cidades sem segurança alguma,Carlos Olivera(Oded Fehr)e L.J.(Mike Epps),juntamente com as sobreviventes K-Mart (Spencer Locke) e Betty (Ashanti), reúnem um grupo e fogem pelo deserto, em um comboio blindado. Eles procuram outras pessoas que não estejam infectadas, mas apenas encontram outros mortos-vivos.O grupo é acompanhado pelo dr. Isaacs (Iain Glen),que está num complexo laboratorial subterrâneo da Umbrella Corporation, escondido sob uma torre de rádio abandonada em Nevada. Isaacs acompanha também Alice (Milla Jovovich), que, após ser capturada pela Umbrella, foi submetida a um teste biogenético que alterou sua configuração genética. Agora transformando-se constantemente e sob o risco de ser traída pelo seu próprio corpo, Alice segue o comboio e tenta conduzi-los ao seu destino: o Alasca, onde acreditam que estarão livres dos zumbis.Mas será que realmente lá estarão seguros ou serão alvos do mesmo jeito?
"De a sua opinião em relação à crítica deste filme,deixe seu comentário no campo de perguntas abaixo,assim você também poderá participar das críticas dizendo o que achou do filme e dando sua nota..."

Nenhum comentário :

Postar um comentário