.
.
.
.
.

[ VISITANTES ]

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Crítica do Filme: Mama





AUTORDENNIS WILLIAN CIDRAL

TITULO ORIGINALMAMA

ESTILOSOLO

DIREÇÃOANDRÉS MUSCHIETTI

GÊNEROTERROR

DURAÇÃO100MINUTOS

LANÇAMENTO2013

PAÍS DE ORIGEMESPANHA

AVALIAÇÃO DO AUTORBOM


"AMOR DE MÃE É ETERNO"


Um dos filmes mais empolgantes do ano do gênero terror produzido pelo aclamado produtor Guillermo Del Toro, foi alvo de críticas positivas por parte da imprensa que só fez elogiar o filme, a a boa atuação dos personagens e de um roteiro criativo e emocionante.
Mama, titulo nacional que mantem o mesmo internacionalmente levou diversos fãs ao cinema. E como de costume no mesmo estilo "Não Tenha Medo do Escuro" Del Toro prova sua genialidade, e inteligência em cada cena apavorante. Não é um cult porém é um filme que agrada pelo seu tema diferenciado. Trazendo um roteiro açucarado com o que um espírito é capaz de fazer por amor.
O filme também agrada pelos seus bons efeitos, cenário digno de filme tenso e principalmente uma atuação brilhante da vencedora do Oscar Jessica Chastain(A Hora Mais Escura). E do pouco conhecido Nikolaj Coster-Waldau(Oblivion). Vale ressaltar também que o filme é um pouco parado, e que a trama só engrossa depois dos 40 minutos. Não cheguei assistir Mama nos cinemas, mesmo sendo uma vontade imensa, acabei esperando sair em home vídeo. Não nego que esperava mais do filme, mas acho que valeu a locação. Mesmo porque o filme passa longe de ser ruim, ao contrário e bem legal de assistir, tem uma história bacana e se torna um bom passatempo com os amigos.
Há cinco anos, as irmãs Victoria (Megan Charpentier) e Lilly (Isabelle Nélisse) desapareceram da sua vizinhança sem deixar vestígios. Desde então, seu tio Lucas (Nikolaj Coster-Waldau) e sua namorada Annabel (Jessica Chastain) têm procurado por elas. Mas quando, incrivelmente, as crianças são encontradas vivas em uma decrépita cabana, o casal se pergunta se as meninas são os únicos hóspedes que eles receberam em sua casa. À medida que Annabel tenta apresentar às crianças uma vida normal, ela começa a se convencer que existe uma presença maligna em sua casa.

Nenhum comentário :

Postar um comentário